“Se queremos que Camaçari possa desenvolver temos que cuidar das raízes”, afirmou Dom Petrini na Missa de Ação de graças pelos 259 anos de Camaçari.

Na missa pelos 259 anos de Camaçari, realizada neste domingo (01/10) o bispo Diocesano Dom João Carlos Petrini recordou as origens da cidade e ressaltou a importância de buscar a paz e o bem comum.

A Missa foi celebrada na Catedral São Thomaz de Cantuária pelo bispo Dom João Carlos Petrini e concelebrada por padres da cidade, contou também com a presença de autoridades civis, religiosos e a comunidade. Durante a homilia Dom Petrini recordou o motivo da celebração “Nos encontramos para celebrar os 259 anos da cidade de Camaçari e para rezar por toda população que aqui vive, pelas autoridades e todas as necessidades.  Para que possamos aprender a conviver buscando a paz e o bem comum”.

Referindo-se ao Evangelho do domingo que tratava sobre o serviço na vinha do Senhor ele recordou que cada um tem um chamado especifico “Cada um faz uma parte um cuida da catequese com as crianças, o grupo de jovens, a família. Outros organizam os aspectos da cidade, da educação. Todos pensando na vinha, pensando no bem do povo como está falando evangelho e não é automático.  É uma postura de simplicidade, de humildade” disse.

ORIGEM DE CAMAÇARI

“As origens dessa cidade de Camaçari, teve seu primeiro centro habitado a Vila dedicada ao Espírito Santo em Vila de Abrantes, já incorporava duas tribos indígenas. No brasão da Diocese tem duas coisas que simbolizam choupanas indígenas para dizer que na origem dessa Diocese está também o acolhimento ao povo que tinha chegado, ao povo que é originário daqui.  Que começou a participar daquela comunidade, dois sacerdotes jesuítas que eram missionários.

 

O que está na origem dessa cidade de Camaçari?  A palavra de Jesus, o Evangelho, sua presença divina, a eucaristia, a amizade fraterna, o acolhimento daquelas pessoas compartilhando as necessidades. Os nascimentos são decisivos e todos desenvolvimento que virá depois depende desse nascimento”.

 

Comparando com a origem da cidade de  Salvador que no primeiro ano de fundação realizou-se a procissão de Corpus Christi  e criada a primeira casa da misericórdia.  Questionando, explanou “O que significa isso?  Significa que a presença de Jesus Cristo e a caridade fraterna que cuida dos doentes, dos mais pobres são as pedras angulares daquela cidade, aqui semelhantemente dois missionários, certamente não tinha casa de misericórdia, mas tinha o lugar para acolher os doentes e mais pobres e Evangelização para que todos possam viver como irmãos”.

E qual a mensagem para nós? Voltar as raízes

E se queremos que Camaçari possa desenvolver como uma árvore que pode expandir suas copas e atrair mais pássaros e dá mais frutos, temos que cuidar dessas raízes. Cuidando das raízes essa árvore pode crescer, e cuidar significa alimentar aquilo que foi posto na origem no DNA dessa cidade, a palavra de Deus, sua presença divina que vence o mal e vence a morte, sua capacidade de acolher de perdoar e amar. Por que nós somos acolhidos perdoados e amados por Deus.

COMPROMISSO COM A VINHA

“Nesta manhã aqui reunidos diante de Deus e da sua Palavra Sagrada podemos renovar o compromisso de fazer a vontade do Pai e ser como um filho que aceita trabalhar na vinha, nossa atividade profissional, nossa vida diária, tudo a serviço da grande vinha que é o povo de Deus, o povo de Camaçari. Uma possibilidade então de caminhar juntos buscando o bem comum e dá uma atenção redobrada aos mais pobres e superiores e promover a paz e respeitar uns aos outros.

Com tanta facilidade uma pessoa é humilhada, as vezes numa fila no posto de saúde, quanta facilidade o respeito é posto de lado, por que parece que a prepotência é mais importante.  Então queremos contar com essa presença divina com sua vitória sobre o mal e sobre a morte essa é a nossa obra comum povo e autoridades e com amor e paciência iremos alcançar. Devemos alcançar o grande objetivo e implantar uma verdadeira Paz em toda cidade de Camaçari.

O bispo citou os dez mandamentos como ponto principal para alcançar a paz e que precisa retomar para que principalmente os mais jovens sejam alcançados  “ Claro devemos retornar aos 10 mandamentos. Quem sabe como os indígenas ficaram quando aprenderam os dez mandamentos. É como se voltasse aquela origem, os indígenas não conheciam os mandamentos nem o mandamento do amor. A maioria dos adolescentes de nossa cidade não conhecer os dez mandamentos nem o mandamento do amor, mas pela obra dos missionários Jesuítas os próprios indígenas se converteram e aprenderam uma vida cristã.

Nós também temos que fazer isso para toda cidade, já tinha sido aprendido, mas foi esquecido. Temos que retornar, até ter atitude de simplicidade e vai recomeçando pela paz para como viver com dignidade e com respeito.

Ele afirmou ainda que só com Jesus Camaçari poderá retornar a um caminho de verdadeira vida “ Tem um versículo que diz assim “Está é a vitória que vence o mundo a nossa fé” ( 1 Jo 5,4) Por essa retomada do caminho de fé que pode ser vencido o mundo. E quando dizemos que vencemos o mundo podemos dizer o egoísmo, o mal, a violência, prepotência, o mundo das drogas e tudo que produz a destruição e a morte. Por que é o Senhor que é o Senhor da Vida e com ele podemos retomar os caminhos da verdadeira vida para toda cidade de Camaçari e todo seu povo, concluiu.

 Publicado : 02/10/2017