História

Dados Históricos

A Diocese de Camaçari foi criada em 15 de dezembro de 2010 pelo Papa Bento XVI, desmembrada da Arquidiocese de São Salvador da Bahia. O território da Diocese é constituído pelos municípios de Camaçari, Candeias, Dias D’Ávila, Madre de Deus, São Francisco do Conde, São Sebastião do Passé, Simões Filho e Terra Nova.

Quando foi criada, no território da diocese haviam 708 mil habitantes, dos quais 481 mil eram católicos. A solenidade de instalação da diocese e posse de seu primeiro bispo, Dom João Carlos Petrini foi realizada no dia 19 de fevereiro de 2011.

O padroeiro da Diocese de Camaçari é São Thomaz de Cantuária, e a catedral fica localizada na Praça Desembargador Montenegro, n 9, Centro de Camaçari.

 

Brasão

O campo de escudo é azul, cor própria de Maria Santíssima, Mãe de Jesus e da Igreja, Rainha do Universo, Guia da Nova Evangelização, Advogada Nossa, aludindo a Nossa Senhora das Candeias, cujo Santuário é sufragâneo desta Diocese.

A cidade sede Diocesana originou-se da Aldeia do Espírito Santo, situada na Vila de Abrantes, aldeias de índios catequizados, fundada em 1557, Vila em 1758 e sede do governo em 1624. A aldeia está retratada nas três tocas Indígenas colocadas sob o símbolo gráfico do espírito Santo, em seu matiz vermelho que domina o mantel, com figuras de ouro.

Importa destacar o padroeiro Diocesano, Arcebispo de Canterbury, Dom Tomas Beckrett, grande defensor do múnus eclesiástico, o que resultou no seu supremo martírio. Sobre uma cruz de oito pontas, referente à fé Cristã em todos os quadrantes da terra, no seu centro, revela-se a mitra do patrono, cortada por uma espada, arma de algozes.

Falante do presente, a Diocese assume uma roda dentada, marca da indústria e do progresso, protegida pela Cruz de Cristo, para maior Glória de Deus e da Sua Igreja Imortal.